BAÚ DO SEGUIDOR: “TUA PALAVRA ME FAZ SEGUIR ADIANTE”

Você já se perguntou por que participar do Segue-me? Já pensou em quantos jovens deixam de colaborar, debater, estudar, rezar com e pelo o movimento Segue-me e ao mesmo tempo quantos outros jovens persistem, superam suas dores, insistem, doam seu tempo, ocupam semanas, feriados, com reuniões, encontros, tarefas em prol de si mesmo e de outros jovens que na maioria das vezes nem são seus conhecidos?

O Segue-me tem mesmo um diferencial. São muitos os jovens que guardam com carinho a mensagem anunciada nos primeiros três dias de um seguimista que mais tarde será um eterno seguidor. São muitos os jovens que lutam com garra e muito amor para que o movimento cresça e leve a alegria de quem conhece a Cristo para muitos outros e de diversos lugares.

Ao final da primeira década do século XXI, uma jovem batizada na igreja católica frequentava a igreja Batista desde pequena. Terminando o seu ensino médio, a jovem passou a frequentar a casa de algumas amigas para aproveitarem o final de semana nas festas da cidade. Muitas destas amigas são católicas e na época, frequentavam um grupo jovem na Paróquia São Vicente de Paulo, em Taguatinga-DF. Com a convivência e a frequência com que se reunia com as amigas, logo foi convidada para participar do mesmo grupo. Mesmo sendo um grupo jovem de uma religião diferente da qual ela era fiel, a jovem foi. Sentiu-se bem. Mas mesmo assim, mantinha críticas e fazia comparações das missas que participava. Até que…

Até que, em 2011, recebeu uma ficha do Encontro de Jovens com Cristo – Segue-me. Ela preencheu a ficha; ela participou do encontro. Ela gostou. A jovem, agora uma seguidora, despertou. Queria mais. Desejava contribuir, conhecer a igreja católica. Buscou conhecimento. Cursou a catequese; fez a sua primeira Confissão, Comunhão e Crisma. Conheceu o verdadeiro significado da Eucaristia e o poder da oração do Santo Terço. Passou a servir nas Pastorais da paróquia São Vicente de Paulo. Reconciliou com a família (havia alguns anos que não falava com o seu pai). Essa barreira foi vencida. Deixou o orgulho de lado e viu o amor de Deus guiar a sua vida. As atividades do Segue-me contribuíam. Sentiu-se acolhida.

Mas o inimigo não se dá por vencido; tenta, aguarda, age na fraqueza.

Em 2015, atuante e perseverante na fé, a jovem seguidora passou por momentos difíceis. Começaram crises de ansiedade, síndrome do pânico, depressão, fribromialgia. As doenças alteraram a rotina desta seguidora. Acabou afastada do trabalho e dos estudos. Com muita oração e amigos que o Segue-me sempre nos dá, a jovem reestabeleceu a sua vida. A rotina foi retomada em 2016.

Inquieta, animada e curiosa, a jovem seguidora voltou cheia de planos. Foi convidada para participar da implantação do Segue-me na cidade de Jataí-GO. Mesmo reacendendo a chama do primeiro amor e encantada por ter vivenciado, com seu servir, mais dias inesquecíveis, na segunda-feira, já em casa, sentiu novamente uma crise de ansiedade. Mas como poderia ter vivido dias tão intensamente alegres e estar com uma sensação tão distante do que seria normal? Ao se fazer esta questão, a jovem escreveu um pequeno texto em uma rede social. Era uma narração, uma oração, um desabafo, um registro…

“Pequenas grandes vitórias.

Medos inexplicáveis.

Dores insuportáveis.

Orações constantes.

Ninguém vê, o que não entende.

O que não sente, o que não quer escutar.

É um pedido de ajuda.

Uma luz em meio à escuridão.

A esperança em meio a maldade.

O amor em meio a solidão.”

Um amigo seguidor que também esteve em Jataí, ao ler o texto, perguntou para a jovem seguidora: – Quem escreveu esta poesia?

Surpresa com a indagação, a jovem seguidora confirmou a autoria. Seu amigo então continuou: – Fiz uma música para este lindo texto.

A jovem seguidora viu na música a reposta para o turbilhão de emoções que ela estava sentindo naquele instante em que escreveu as palavras na internet.

Para a jovem, ser Cristão no mundo de hoje é buscar pequenas grandes vitórias no nosso dia a dia.

A menina, a moça, a jovem seguidora, atualmente é jovem dirigente do Segue-me do seu núcleo. Foi a idealizadora da revista Fruto do Amor e compõe a equipe arquidiocesana de comunicação do Segue-me DF.

Feliz, disponível para servir e lutando diariamente contra a sua patologia com a ajuda de um profissional e também do ambiente familiar, amistoso e de muito amor proporcionado pela vivência na comunidade paroquial via Segue-me, ela, a jovem seguidora, irá apresentar, junto com o seu amigo compositor, a música desta história no próximo FEMUS. Que o Bom Pastor conduza o caminho de todos os jovens e casais seguidores e sempre nos permita pequenas grandes vitórias.

Ultimas Matérias

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *